segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

A Espera


A espera avança infinita
Dança sobre mudos tropéis
E se lança silenciosa
Sobre o negro e rude veio-estanque...
Qual manancial de morte
Em vida...

Ávida ferida da hora
Do tempo em que foi retida em mim
E num sonho

Esquecida.

2 comentários:

  1. Obrigada pela visita em meu blog. Te espero mais vezes.
    Tambem estou seguindo-te.

    beeejo!

    ResponderExcluir
  2. J.M. posta aqui aquela com a qual vc venceu o concurso!!!

    ResponderExcluir